Archive for agosto, 2009


Unasul…

postado por Cau Gomez @ 11:40 PM
31 de agosto de 2009

chavezxuribe


Apenas um rapaz latino-americano…

postado por Cau Gomez @ 11:32 PM
30 de agosto de 2009

belchior


Conflito

postado por Simanca @ 12:50 PM
29 de agosto de 2009

conflito


Escolas públicas

postado por Simanca @ 10:52 PM
28 de agosto de 2009

Cartão Vermelho

postado por Simanca @ 2:27 PM
26 de agosto de 2009

hare_baba


Médico X Monstro

postado por Cau Gomez @ 1:21 AM
26 de agosto de 2009

dr_roger-abdelmassih


Irrevogável

postado por Simanca @ 11:45 PM
24 de agosto de 2009

lula_mercadante


Controvérsia dos crucifixos I

postado por O Ferrão @ 2:13 AM
24 de agosto de 2009
tribunal_santo_oficioNesta cena esquemática, que diz respeito ao auto da fé, aparecem as armas da Inquisição acima dos juízes. À direita dos inquisidores está o bispo, e à esquerda, o governador da cidade. No centro vemos o condenado com o sambenito, a vela na mão e a mitra na cabeça, ouvindo a sentença, proferida pelo secretário do tribunal. (Fonte: História das Inquisições de Francisco Bethencourt)

Justiça decide que símbolos religiosos podem permanecer em prédios públicos

A juíza Maria Lúcia Lencastre Ursaia, da 3ª Vara Cível Federal de São Paulo, indeferiu o pedido do Ministério Público Federal (MPF) de retirada de símbolos religiosos de prédios públicos. O Ministério Público fez a denúncia após representação do engenheiro Daniel Sottomaior Pereira, de 37 anos, que se sentiu ofendido com a presença de um crucifixo em um órgão público. A decisão foi anunciada hoje (20). Pereira é presidente da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA) e participa do movimento Brasil para Todos, uma iniciativa de democratização dos espaços e dos serviços públicos brasileiros.

Segundo nota da Justiça Federal, a juíza Maria Lúcia considerou natural, em um país de formação histórico-cultural cristã como o Brasil, a presença de símbolos religiosos em órgãos públicos. “Sem qualquer ofensa à liberdade de crença, garantia constitucional, eis que, para os agnósticos, ou que professam crença diferenciada, aquele símbolo nada representa, assemelhando-se a um quadro ou escultura, adereços decorativos”, disse Maria Lúcia.

Além disso, o Estado laico não deve ser entendido como uma instituição anti-religiosa ou anticlerical, afirmou a juíza. “O Estado laico foi a primeira organização política que garantiu a liberdade religiosa. A liberdade de crença, de culto e a tolerância religiosa foram aceitas graças ao Estado laico, e não como oposição a ele. Assim sendo, a laicidade não pode se expressar na eliminação dos símbolos religiosos, mas na tolerância aos mesmos.”

Para o MPF, a foto do crucifixo desrespeitava o princípio de que o Estado é laico, ou seja, sem religião. Segundo o texto, era também um desrespeito “à liberdade de crença, à isonomia, bem como ao princípio da impessoalidade da administração pública e ao princípio processual da imparcialidade do Poder Judiciário.” (leia mais…)

Fonte:  Agência Brasil


Controvérsia dos crucifixos II

postado por O Ferrão @ 2:13 AM
24 de agosto de 2009
interrogatorio_santo_oficioSessão de interrogatório da Inquisição. Nesta cena “canônica” – com o preso abaixo do estrado onde está colocada a mesa, um inquisidor que interroga e um notário que registra as respostas – encontramos outros elementos interessantes: o crucifixo em cima da mesa, bem como a campainha para chamar o alcaide dos presos; ao fundo, um grande crucifixo domina toda a sala, ladeado pelas armas papais e pelas armas reais. (Fonte: História das Inquisições de Francisco Bethencourt)

Ação judicial contra símbolos religiosos em prédios públicos é violência, diz CNBB

Pedir judicialmente a retirada de símbolos religiosos de edifícios públicos é uma violência, na opinião do presidente da Conferencia dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Geraldo Lyrio Rocha. “Querer, apelando para a questão do Estado laico e da sociedade pluralista, apagar todos os elementos que estão incorporados na cultura brasileira é uma violência que se faz”, disse em entrevista à Agência Brasil.

No final de julho, o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo ajuizou ação civil pública para obrigar a União a retirar todos os símbolos religiosos afixados em locais de atendimento ao público nas repartições federais do estado.

Dom Geraldo destacou que a maior parte da população brasileira é católica e que história do país é “fortemente marcada pela presença da Igreja”. Para ele, aceitar a presença dos símbolos de fé é um exemplo de “tolerância religiosa”, pelos praticantes de outros credos.

Para o padre e doutor em direito canônico, Salmo de Souza, deve haver cuidado nas manifestações contra a religiosidade para que não se transformem em intolerância à religião. “O Estado não poderia adotar uma ideologia que seria o princípio leigo no aspecto negativo, ou seja, uma intolerância para qualquer sinal religioso.”

Segundo o padre, os símbolos de fé afixados até mesmo em prédios públicos “estão em coerência com a tradição do povo na sua maioria”. Por isso, na opinião de Souza, é necessário compreensão pelas minorias.

Na avaliação da professora da Universidade de São Paulo (USP) e militante de direitos humanos Roseli Fischmann, a presença de crucifixos em tribunais e outros edifícios públicos é uma imposição da maioria cristã sobre as minorias de outros credos e a arreligiosa.

Fonte:  Agência Brasil


Simpatia

postado por Simanca @ 10:22 PM
23 de agosto de 2009

psdb_marina